terça-feira, 26 de junho de 2012

Fila do luxo

É oficial: Entramos para o primeiro mundo. A economia tá zuada, a pobreza se alastra como gripe, a roubalheira tá aí pra quem quiser ler MAS fizemos fila para a abertura da primeira Top Shop no Brasil, assim como as inglesas fazem na loja-sede e assim como todos fazem na porta da H&M e da Comme des Garçons.




Fila na TopShop do JK

Aqueles tempos nefastos de fila da carne, quando meus pais saíam correndo à noite, no meio do Jornal Nacional, porque o Sérgio Chapelin havia anunciado que a carne tava com o preço congelado pela inflação, acabaram. Agora a fila é pro luxo, para produtos supérfluos e sobretaxados, para o hype de etiqueta, para o bafo no Instagram.



Fila pra Comme des Garçons


Aliás, a necessidade de estar e comprar no JK foi tamanha que o Burguer King esgotou seus recursos em algumas horas. Vejam bem - Burguer King. Não tenho dados sobre o consumo no Forneria, mas insiders me disseram que não tinha nem coca-cola no quiosque do café Freddo. Coca-cola, pra dizer que "tomou um negocinho no JK"...




Panic on the streets of London...

Roupas legais? Sim, claro. Feitas pelas mesmas chinesas que fazem pra C&A, Renner e Marisa. Preços acessíveis? Jamais. Mas se você pode comprar pelo preço verdadeiro na Europa e tirar aquela onda com a cara das suas amigas no Face, por quê pagar 5x o preço aqui? Porque você quer ser a Alice Dellal de qualquer jeito, mesmo que com o nome no Serasa, né? Ok...

Nenhum comentário:

Postar um comentário