sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Polêmica: Chinelagem

Quem me conhece sabe que, mesmo mau humorada e "séria" (como dizem por aí, rs..) eu sou uma pessoa sensata e serena. Mas tá osso...

Hoje em dia tem esse discurso por aí de "viva a diferença", "abaixo o preconceito", e toda essa tolerância que eu acho supimpa...até a página 2. Vou usar um exemplo básico: Ônibus.

Situação:
Uma pessoa ouvindo um funk-forró-sertanejouniversitário-pagode no talo, sem fones (claro) e não se importando com o fato de estar incomodando outras pessoas, que gostem ou não destes estilos musicais. Nada é feito a respeito. MAS VAI VOCÊ OUVIR JUDAS PRIEST NO TALO PRA VER O QUE TE ACONTECE!!

Hoje saí de botas na rua, estava fazendo sol na caótica cidade do Rio de Janeiro. Se eu passo calor, o problema é meu, certo? Errado! Veio uma mina que não me conhece, trajando micro shorts e micro top, por cima do biquini, arrastando seu chinelo e dizendo com ironia - "Afffff! Mas com um calor desse e essa aí de botas!!! Pfffffffff!"...



OI????? Então eu ME DEI o direito de criticar também! Já diria Raul - Eu também vou reclamar! Acho quem arrasta chinelo, e mais uó ainda se for daquele chinelo plataforma. E podem reparar - ele nunca vem sozinho! Sempre tem uma minissaia de viscolycra ou um micro shorts de stretch junto! E tudo com strass, pra dar um ar de coisa fina, claro.


Acho um retrocesso este tipo de comportamento - gente apanhando nas ruas por terem opções diferentes, ou ouvindo ironias e/ou ofensas por simplesmente vestirem o que lhes agrada. Mas se a lei que impera é a lei da selva, então cada um que se defenda como puder.