segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Curvas Para Todas

A Levi's é hors concours quando se trata de jeans, há um turbilhão de anos, por um único motivo: Seu jeans é EXCELENTE. Mas até então, era somente um jeans que durava anos, ficava com uma aparência cool com o passar dos mesmos, mas não valorizaaaaaaava a figura, como todos os outros.
Claudia Cardinale e toda a sua suculência

Coisa que sempre foi motivo de dor, sofrimento, crises de auto-estima, ódio no coração, enfim, um tsunami de péssimos sentimentos para mim. Comprar um jeans era coisa de gente magra, sem coxa, sem bunda e com pernas compridas, ou seja, coisa pra modelo. MAS AGORA CHEGOU A MINHA VEZ! Eis que a Levi's, espertinha no movimento barulhento que as mulheres vem fazendo em torno da divulgação da realidade de sua imagem em todo o mundo, resolveu agradar pelo menos 80% delas, lançando 3 modelos diferentes de jeans, um para cada tipo de corpo.



Eu ainda não fui na loja me medir e ver qual é a desta inovação genial, mas gostei da iniciativa. Recentemente, por indicação de um amigo apreciador da natureza feminina, comprei uma Sawary e fui obrigada a concordar que os caras tiveram a malandragem de acertar na percepção de onde apertar o quê, onde disfarçar o quê...Pelo menos pra mim funcionou!


Gina Lollobrigida, sustança com cinturinha


Mas faz quentinho no coração saber que em alguma loja você, suas coxas e sua bunda serão tratadas com o devido respeito, que o bom trabalho realizado por Deus, seus pais e pela academia (ou pela comida maravilhosa da vovó) será valorizado e que, assim como Scarlet O'Hara "NUNCA MAIS PASSAREI FOME NOVAMENTE!". Way to go, Levi's!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Tamanho único??



Mesmo com todo o frisson em torno das modelos plus size, com matérias em revistas importantes como Elle, Vogue e Glamour, aparentemente ALGUNS fabricantes de meias-calças no Brasil não estão se importando muito com a valorização do corpo da mulher brasileira.


Eu sou ávida consumidora de meias-calças, dos mais diferentes tipos, cores, espessuras e marcas. Eu, que visto 42, tenho as coxas grossas e faço parte do grupo das gostosas que passam aperto pra comprar jeans, short, calcinhas e afins. Sim, existe modelo EG ou GG das meias...DE ALGUNS MODELOS APENAS! Minha bronca virou motivo de protesto quando fui comprar uma 7/8 pra dar um close pro bonitão...

Meia 7/8
é para ser usada numa altura razoável da coxa, pois o que importa é a sugestão de que você as está usando. De repente
num cruzar de pernas, numa fenda um pouco mais alta da saia, apenas a sugestão, a sutileza, a surpresa. Infelizmente a marca mais atuante do mercado, a Trifil, não pensa desta forma com relação às "gordinhas" ou "gostosas" que compram este tipo de meia, porque no meu caso (e no caso de muitas amigas e colegas a quem fiz a mesma pergunta) a meia 7/8 tamanho único (seja com barra de renda, barra lisa ou arrastão) só fica "apresentável" se eu usar 3 dedos acima dos JOELHOS! Se eu subir mais a desgraça é certa: não só ela começa a enrolar mesmo com a liga, como eu fico parecendo um queijo provolone! Sem contar que usando a meia apenas 3 dedos acima dos joelhos, a ideia do mistério, da surpresa e da sugestão vai pro saco, né?
A moça ilustra a altura NADA IDEAL da meia, que acaba pedindo 1km de liga...

É impossível se sentir bem desta forma e a impressão que fica é a de que somente a modelo da embalagem é capaz de usar a meia 7/8 na altura ideal, sem parecer um colchão de mudança. Então, povo da Trifil, vamos fazer uma pesquisa de mercado entre as consumidoras não-modelos-tamanho-36 e criar a opção de meia 7/8 EG ou GG??

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O frissom dos esmaltes


Quem me conhece sabe que eu sempre tive um problema, uma espécie de vício besta em esmaltes. De repente isso virou um negócio para dezenas de mulheres de todas as idades, em todos os lugares do mundo onde mulheres podem ser mulheres (em pleno 2010 isto ainda é proibido em alguns lugares, mas isto é treta pra outro post...).

Acho válido...até a página 2. Assim como os infindáveis blogs sobre maquiagem e beleza (e vem aí um post sobre o assunto!), aparentemente não há muita pesquisa, somente um excesso apavorante de informação
! Gosto e rosto, cada um tem o seu, mas tenho visto muita atrocidade por aí. Combinações infelizes, marcas bizarras, gente fazendo dívida no cartão para comprar esmalte japonês (!!!), um desespero quando não se acha 'aquele roxo incrível que a Lady Gaga estava usando!'. Gente...

A validade desse lálálá todo é que muitas marcas passaram a testar suas coleções e melhorar suas qualidades em função desse redescobrimento do esmalte enquanto acessório de moda. Novas marcas apostam suas fichas e aprendem com quem já fazia e com quem usa. Todo mundo fica sabendo se determinada marca dá alergia ou se os pincéis não são bons, e tudo isso é sensacional! Mas aí começam as viagens....


Eu, adepta do simples nacional (tanto para empresas quanto para a vida, hahaha), venho à público esclarecer: Você colega que saiu correndo e comprou toda a coleção de esmaltes flúo da Impala e agora está se sentindo ridícula, não fique assim! Faz um bazarzinho de esmaltes, anuncia no seu Twitter e troque por outros! Não se sacrifique usando algo que você SABE que não rolou pra você.
Vamos a um exemplo: Estou usando, hoje, um tom de verde extremamente escuro com um leve tonzinho metalizado por cima. Resolvi testar, achei chique por ser inverno e os dias estarem meio cinzentos. Mas o verde pistache é uma temeridade para mim!

No geral, cores neutras, básicas e terrosas funcionam.
Então se você fez um estoque de nudes (o bom e velho BEGE), marrons (e todos seus nomes-da-moda), brancos (e suas variantes off-white), vermelhos e rosas, e arriscou num azul satin e num pretão, pronto! O resto você testa, sem compromisso, com alguma amiga mais ousada. Se rolar, rolou!


Ah sim! Sobre as fotos: Eu joguei "esmaltes" no Google, e foi o que catei para ilustrar o post. Se alguém tiver os direitos das imagens, favor entrar em contato. Mas sabem como é, jogou no Google, virou domínio público ;-)